sexta-feira, 12 de março de 2010

Moçambique, África paradisíaca

Moçambique, África paradisíaca

Moçambique: África paradisíaca fala português.
Mariana Bergel - 11/3/2010 - 19h37 (matéria publicada no Diário do Comércio)
 

É impossível não pensar em Moçambique sem abrir um belo sorriso. Além da beleza natural e da realidade de um país em reconstrução, o que mais marca a visita é a simpatia dos nativos. Frequentemente eles puxam conversa com os turistas, sempre sorrindo. E quando descobrem que se trata de um brasileiro, aí então ficam extasiados de alegria.
Localizado na costa oriental do continente africano e banhado pelo Oceano Índico, Moçambique fica acima da África do Sul, na altura de Madagascar. O destino vale a pena tanto para quem busca natureza como para quem quer conhecer uma cultura diferente.
O país tornou-se independente em 1975, foi palco de uma cruel guerra civil até 1992, e ainda se recupera dos traumas do pós-guerra. Uma das fortes marcas dessa tragédia pode ser observada, além da miséria latente, no fato de a população ser majoritariamente jovem.
Ainda que se esteja na África, a familiaridade com o idioma português é um facilitador aos visitantes, resultado da história de ocupação portuguesa. Há algumas diferenças de vocabulário, mas a compreensão é bastante tranquila. Os brancos e estrangeiros, por exemplo, são chamados de mulungos.
A chegada a Maputo, capital de Moçambique, já denota o quanto os brasileiros são amados por ali. Os moçambicanos acompanham todas as nossas novelas e consomem muita música brasileira, que vai de Djavan a Leandro e Leonardo. Em todo o país, nas ruas, há camelôs vendendo de tudo: tomates, alface, sapatos, CDs, roupas, balas etc.

Mariana Bergel
A bela praia de Tofo é tranquila durante o dia e agitada depois que sol se vai, com bares na areia.


As principais atrações de Maputo são o Mercado do Peixe e alguns restaurantes em que é possível se alimentar melhor do que fora da capital. A noite também é bastante agitada por lá. No entanto, é importante tomar cuidado ao circular pela cidade, pois os turistas são alvo fácil para os ladrões e a polícia. Para evitar qualquer tipo de suborno policial, é importante portar sempre uma cópia autenticada do passaporte.
Na hora das compras, vale a lógica da pechincha: os preços ofertados são sempre o equivalente ao dobro ou o triplo do valor real.
Tofo – Saindo de Maputo rumo ao norte do país, a pouco menos de 500 quilômetros da capital está a bela praia do Tofo, com o mar azul-esverdeado. Situada na província de Inhambane, é uma das preferidas dos turistas estrangeiros que se embrenham por terras moçambicanas.
Para chegar a esse paraíso é possível pegar um "chapa" (lotações) na rodoviária de Maputo, alugar um carro (lembre-se de que a condução é feita pela esquerda) ou um vôo direto de Maputo para a capital da província de Inhambane. Uma vez lá, as melhores opções de hospedagem estão na beira da praia.

Mariana Bergel
A bela praia de Tofo é tranquila durante o dia e agitada depois que sol se vai, com bares na areia.





O melhor a fazer em Tofo é descansar e admirar o visual estonteante e ainda pouco explorado da praia, que lembra o recorte de praias como Taipus de Fora, na Bahia. Durante o dia há um mercado com badulaques e artesanato local e, à noite, o Dino's Bar e o Fatima's Place oferecem música eletrônica e, às vezes, ao vivo. É uma boa oportunidade para quem quer conhecer a famosa "marrabenta", ritmo local mais difundido, que é hoje um símbolo cultural nacional.
Perto da praia do Tofo estão também as praias da Barra e Tofinho, esta última famosa por ter golfinhos. Para os amantes do mergulho, a região também é uma boa pedida. À mesa, não deixe de provar "matapa", o prato mais tradicional da culinária moçambicana. A receita leva basicamente folha de mandioca, leite de coco, camarão seco e amendoim.
O nascer do sol e o pôr-do-sol são espetáculos imperdíveis em Moçambique, especialmente quando se está no litoral. Fica fácil entender porque o pôr-do-sol na África é considerado um dos mais bonitos do mundo.

UMA ILHA QUASE DESERTA

Mariana Bergel
Indigo Bay, em Bazaruto, está entre os resorts mais cobiçados do mundo. Só 114 hóspedes e programas como passeio a cavalo.





Considerado um dos mais belos do continente africano, o Arquipélago de Bazaruto, em Moçambique, é um refúgio natural. Parte do conjunto de ilhas, foi transformado em Parque Natural Marinho em 1971.
Praticamente deserta – são  3 mil habitantes em 38 km de comprimento e 7 km de largura -, a Ilha de Bazaruto oferece muitos atrativos naturais. São lagoas com crocodilos (parece estranho, mas eles estão lá e ninguém sabe explicar o fenômeno), enormes dunas que desembocam no mar, golfinhos e um mar repleto de maravilhas marinhas para mergulhadores amadores e profissionais. Quem tem o privilégio de chegar de monomotor ao arquipélago observa do alto as águas cristalinas que permitem ver nitidamente os inúmeros corais espalhados pela região.
Para chegar a Bazaruto é preciso ir até Vilanculos, que fica a cerca de 700 km da capital  Maputo e é a cidade continental mais próxima do arquipélago. O mais indicado é fazer o trajeto de avião, já que as estradas moçambicanas estão em péssimo estado e a polícia local é bastante corrupta – não são raros os casos de multas aplicadas indiscriminadamente a turistas estrangeiros.
Entre as escassas opções de hospedagem nas duas únicas ilhas habitadas do arquipélago (Bazaruto e Benguerua), a mais luxuosa é o resort cinco-estrelas Indigo Bay, em Bazaruto. O lugar hospeda em chalés luxuosos e tem capacidade para apenas 114 pessoas. A gastronomia do resort oferece delícias como salada de lagosta e frango com piri-piri (pimenta tradicional moçambicana). Vale a pena o passeio a cavalo para ver o nascer do sol do topo das dunas.

RAIO X 





COMO CHEGAR
Os voos da South African Airways (tel. 11/3065-5115, www.flysaa.com) fazem escala em Johanesburgo, na África do Sul, antes de seguir para Maputo (distante 1h30 de voo).  Tarifas a partir de US$ 1.595 ida-e-volta. O vôo de ida e volta de Johanesburgo para Vilanculos custa U$ 347 pela LAM (www.lam.co.mz/pt).

ONDE DORMIR

Fatima's Place: Mao Tse Tung Ave, 1317, Maputo, tel. (258) 8244-5730. Próximo ao centro da capital, trata-se de um hostel bem cuidado e equipado. A partir de US$ 20 por pessoa.
Hotel Polana: Avenida Julius Nyerere, 1380, Maputo, tel. (258) 2149-1001, www.serenahotels.com. Elegante e considerado um dos melhores da cidade. Tem piscina, quadra de tênis, cassino, restaurante e um belo jardim. A partir de US$ 168 o casal, com café da manhã.
Hotel Tofo Mar: Bairro Josina Machel, Praia do Tofo, Inhambane, tel. (258) 2932-9043, www.hotel-tofomar.com. O hotel está localizado na praia, perto do centro da vila. Oferece passeios a cavalo e equipamento de mergulho. A partir de US$ 107 o casal.
Casa Barry: no topo da montanha ao leste da Praia do Tofo, Inhambane, tel. (258) 317670111. Tem charmosos chalés com vista para o mar. É a melhor opção na vila e tem um restaurante com ótimas opções. A partir de US$ 83 o casal.
Indigo Bay - Island Resort and Spa: Ilha de Bazaruto,  tel. (258) 2130-1618, www.indigobayresort.com. A cozinha, especializada em frutos do mar, é fabulosa, assim como a decoração. Em um local paradisíaco, oferece toda toda infra-estrutura de um ótimo resort. A partir de US$ 349 o casal, com pensão completa (todas as refeições incluídas, exceto bebidas alcoólicas).

ONDE COMER

Mimmo's: Avenida Salvador Allende com Avenida 24 de Julho, Maputo, tel. (258) 2149-4080. Tem pratos com frutos do mar, massas e grelhados. 
Restaurante Costa do Sol: Avenida Marginal, Maputo, tel. (258) 2145-0038. Amplo, em uma construção estilo art déco na frente da praia, fica a 5 km do centro e tem diversidade de pratos com frutos do mar. 
Mundo's: bairro Josina Machel, Praia do Tofo, Inhambane; e Avenida Julius Nyerere, 657, Maputo, tel. (258) 8443-04300, http://blog.mundosmaputo.com. Em ambiente simples, porém agradável, oferece um cardápio bem variado – de pizza a peixe do dia.

FAÇA AS MALAS

Na internet: www.turismomocambique.co.mz, www.portaldogoverno.gov.mz, www.mozambique.org.br, www.turismomocambique.co.mz.
Pacotes: pela Nascimento Turismo (tel. 11/3156-9944, www.nascimento.com.br) e a Designer Tours (tel. 11/2181-2900, www.designertours.com.br). 
Clima: a média é de 20ºC no sul do país e 26ºC no norte.
Visto: é preciso enviar o passaporte, formulário preenchido, xerox do passaporte, comprovante de hospedagem, xerox da vacina contra febre amarela, duas fotos 3×4 e o comprovante de pagamento de taxa de R$ 150 para a Embaixada de Moçambique em Brasília. Mais informações pelo www.mozambique.org.br.
Moeda: metical. U$S 1 vale 32.745 MZN.
Fuso: cinco horas a mais que em Brasília.
Vacina: contra febre amarela. Mais informações pelo site www.anvisa.gov.br.

2 comentários:

  1. hi.. just dropping by here... have a nice day! http://kantahanan.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Hi... Looking ways to market your blog? try this: http://bit.ly/instantvisitors

    ResponderExcluir